https://pixabay.com/pt/photos/outono-folhas-de-outono-folhas-3763897/

Pra lá de verdadeiro, por Gustavo Rocha

Pra lá de verdadeiro, por Gustavo Rocha

(Um bom dia de 01 de Junho de 2020 para quem habita em meu peito)


Hoje  acordei com vontade de dizer o que sinto,

O que passa pela mente,

Dorme em minhas entranhas mais profundas,

Exara da alma que em mim abunda;


Hoje, dia amanheceu de maneira estranha,

Seja pela quarentena, isolamento sem ser isolado,

Amanheceu com dor e desejo,

Dia que inicia com muito almejo;


Vontade esta que exprimo em palavras e versos,

Apenas como forma, sem ser amplitude,

Posto que palavras aprisionam em significados e significâncias,

E o que sinto é infindo, livre e evolutivo!


E para dizer tudo isto com palavras e gestos,

Deixo meu bom dia com muito apreço,

Que a semana que inicia seja maravilhosa, abençoada,

E que possas neste instante saber que és uma pessoa amada;


Amor oriundo do sentimento mais profundo e sincero,

Amor não limitado aos pensamentos impuros ou verborrágicos de concupiscência, 

Um gesto simples como um bom dia e um poema,

Um carinho infinito do meu eu para o teu, em essência;


E neste gesto, fica também meu abraço e carinho desmedido,

Para que quando tudo isto passar possa ser novamente sentido,

Num resumo silábico e sincero:

Amor, amizade, carinho, isolamento e um bom dia pra lá de verdadeiro!

https://pixabay.com/pt/photos/luz-l%C3%A2mpadas-esperan%C3%A7a-brilho-2156209/

Trova do isolamento

Estamos há mais de 30 dias em isolamento,

Embora não possa afirmar seja este o único sentimento,

Pois habita no meu peito,

Amor, verdade e respeito.


E, nestas, pleno de significado,

Desejo declarar o essencial derradeiro,

Que pulsa em verso, poesia e canto:

Desejando bom dia de hoje com afeito!



Posto que a distância é realidade,

Sem descuidado da saúde é verdade,

E menos ainda do que brota nas entranhas profundas da existência:

Saudade de convivência!


Então, lanço meu apelo,

Seja por mensagem, sinal de fumaça ou outra comenda,

Sejamos a latência de nossas entranhas,

Exaltando o cardíaco em letras e pujança!


E na medida destas palavras,

Deixo meu bom dia desmedido,

Carinho, abraço e um desejo ao pé do ouvido:

Te cuida vivente!

Te quero feliz e contente,

Até o Patrão Velho nos deixar conviver novamente!


Está foi a Trova de isolamento escrita por Gustavo Rocha em 05 de Maio de 2020, para deleite daqueles que palpita o sentimento.

Beijo no coração das gurias e abraço nos xirús!
Gustavo Rocha
Blog do Gustavo Rocha – PensarFazBem
gustavo@gustavorocha.com | (51) 98163.3333 |www.blogdogustavorocha.com.br

https://pixabay.com/pt/photos/papoila-s%C3%B3-forma-isolada-ile-1819645/

Singular

Singular
(escrito por Gustavo Rocha em homenagem ao dia das mães em 10/05/2020)

Letras formam palavras,
Palavras formam significados,
Nenhuma, entretanto, tem maior valor,
Do que uma de 3 letras apenas tem a seu dispor.

Mãe significa mais do amor,
Mãe significa um anjo do céu,
Significa ensinamento e carinho,
Mãe já diz tudo, deste jeitinho.

Nossa primeira lembrança nos momentos de dor,
Nossa advogada junto ao Pai Supremo,
Não importa quando, como, onde ou porquê,
Mãe é sempre nossa palavra de apelo.

Também tem força de um eu te amo incondicional,
Carrega consigo conhecimento universal,
Anjos de Deus-Pai nesta terra,
Mães, eternas, belas, singelas.

No pulsar da nossa vida,
Sua educação, amor e olhar carregamos,
Símbolo da magia e renovação do universo,
Mamães, sintam-se amadas nos meus versos!

Continuem na senda de mudar o mundo,
Sigam o rumo do coração, amor e verdade,
E não tenham medo!
O DNA de mãe já vem com o título de heroína dentro!

Não importa se de coração, sangue ou credo,
Mães são mais que títulos ou símbolos mundanos:
Mãe é o conceito de tudo que é belo e deve ser seguido,
Por todos que querem ser bons filhos.

E nos ensinamentos de Maria, a mãe do menino Jesus,
Aprendamos que até ele pediu perdão e amou como ela o amou,
Assim como nós devemos amar, perdoar e saudar quem nós reconhecemos como tal,
Agradecer é o mínimo, afinal.

Obrigado mãe, mamães, e tantos outros nomes que são chamadas,
Que o amor que exala dos seus poros sejam o suor do mundo,
Salgado, sem ser impuro,
Verdadeiro, nas inúmeras batalhas do ofício,
E singular, como toda mãe é para o seu filho.