Já publiquei este, mas repito: Precisamos fazer o nosso melhor todos os dias…

Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso…
Mas sê o melhor no que quer que sejas.

Pablo Neruda

É Proibido

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda

Pensar diferente

Quando leio Neruda, penso 180 graus diferente:

“Mas se amo os teus pés
É só porque andaram
Sobre a terra e sobre
O vento e sobre a água,
Até me encontrarem.”
―Pablo Neruda

Amo as pessoas não apenas por elas estarem ao meu lado neste momento.

Amo cada singular momento.

Amo as maneiras que o tempo encontrou em nos unir.

Não apenas eu e minha amada esposa.

Existem pessoas especiais no lado esquerdo do peito. Pessoas que o tempo não apaga e o carinho que sinto se nutre e existe pela saudade, boas recordações e uma dose de amor diário.

Nem sempre vejo estas pessoas. Nem sempre consigo falar com elas.

Contudo, em meu peito, elas estão lá.  Firmes, fortes, belas.

E assim como Neruda, o que importa é cada detalhe e não apenas o sentimento.

Se você tem a sorte ou azar de morar aqui, sinta-se amada, abraçada e principalmente verdadeiramente acariciada por minhas palavras…

E, finalizo com Neruda mais uma vez:

“Tu eras também uma pequena folha que tremia no meu peito.

O vento da vida pôs-te ali.

A princípio não te vi: não soube que ias comigo, até que as tuas raízes atravessaram o meu peito,

se uniram aos fios do meu sangue, falaram pela minha boca, floresceram comigo.”

 

Beijo no coração das gurias e abraço nos xirús!
Gustavo Rocha
Blog do Gustavo Rocha – PensarFazBem
gustavo@gestao.adv.br  |  (51) 8163.3333  |  www.blogdogustavorocha.com.br