Vida

“Sinto-me como uma semente no meio do inverno, sabendo que a primavera se aproxima. O broto romperá a casca e a vida que ainda dorme em mim haverá de subir para a superfície, quando for chamada. O silêncio é doloroso, mas é no silêncio que as coisas tomam forma, e existe momentos em nossas vidas que tudo que devemos fazer é esperar. Dentro de cada um, no mais profundo no ser, está uma força que vê e escuta aquilo que não podemos ainda perceber. Tudo o que somos hoje nasceu daquele silêncio de ontem. Somos muito mais capazes do que pensamos. Há momentos em que a única maneira de aprender é não tomar qualquer iniciativa, não fazer nada. Porque, mesmo nos momentos de total inação, esta nossa parte secreta está trabalhando e aprendendo. Quando o conhecimento oculto na alma se manifesta, ficamos surpresos conosco mesmos, e nossos pensamentos de inverno se transformam em flores, que cantam canções nunca antes sonhadas. A vida sempre nos dará mais do que achamos que merecemos”.

(Kahlil Gibran)

Ainda ontem pensava que não era

Ainda ontem pensava que não era

 

Ainda ontem pensava que não era

mais do que um fragmento trémulo sem ritmo

na esfera da vida.

Hoje sei que sou eu a esfera,

e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim.

 

Eles dizem-me no seu despertar:

” Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia

sobre a margem infinita

de um mar infinito.”

 

E no meu sonho eu respondo-lhes:

 

“Eu sou o mar infinito,

e todos os mundos não passam de grãos de areia

sobre a minha margem.”

 

Só uma vez fiquei mudo.

Foi quando um homem me perguntou:

“Quem és tu?”

 

Kahlil Gibran

Religião

A RELIGIÃO.
E um velho sacerdote disse: “Fala-nos da religião.
”E ele disse:“Tenho eu falado de outra coisa hoje? Não é a religião todas as nossas ações e reflexões?
E tudo o que não é ação nem reflexão, mas aquele espanto e aquela surpresa sempre brotandona alma, mesmo quando as mãos talham a pedra ou manejam o tear?
Quem pode separar sua fé de suas ações, ou sua crença de seus afazeres?
Quem pode espalhar suas horas perante si, dizendo: ‘Esta é para Deus, e essa é para mim; está é para minha alma, e essa é para meu corpo?
’Todas vossas horas são asas que adejam através do espaço, passando de um Eu a outro.
Aquele que veste sua moralidade como veste seus melhores trajes, melhor seria que andassedesnudo: o vento e o sol não cavarão buracos na sua pele.
E aquele que traça sua conduta pela ética, encarcera seu pássaro cantor numa gaiola.
A mais livre canção não chega através de grades e arames.
E aquele para quem a adoração é uma janela a abrir, mas também a fechar, não visitou aindao santuário de sua alma, cujas janelas permanecem abertas de aurora a aurora.
Vossa vida cotidiana é vosso templo e vossa religião.
Todas as vezes que penetrardes nela, levai convosco todo o vosso ser.
Levai o arado, a forja, o macete e a lira, todas as coisas que modelastes por necessidade ou por prazer.
Pois nos vossos sonhos, não podeis elevar-vos acima de vossas realizações nem cair abaixo de vossos fracassos.
E levai convosco todos os homens, pois na vossa adoração, não podeis voar acima de suas esperanças nem rastejar abaixo de seu desespero.
E se quereis conhecer a Deus, não procureis transformar-vos em decifradores de enigmas.
Olhai, antes, à vossa volta e encontra-Lo-eis caminhando nas nuvens, estendendo os braçosno relâmpago e descendo na chuva.
E O vereis sorrindo nas flores e agitando as mãos nas árvores.”
 O Profeta – Khalil Gibran

 

ELE vive dentro de nós. Será que alguém ainda duvida disto?