Tua juventude

A tua juventude é um quadrado branco

desenhado no sol.As sílabas de água

fazem-te justiça.Ainda é possível ser lúcido,liso, perfumado,

ter a pele do poema como casa.Há em ti

coisas que não espero:um lince silencioso,

a luz da seiva, uma lâmina,

um peixe.Volto a tua imagem para mim.És real. Existes

no equilíbrio das estações,

na textura da seda lisa pelas minhas mãos.Não há pétalas onde pisas.Há perguntas.O meu nome transborda dos teus lábios,

boca respirando o instinto das abelhas.Esta alegria é um momento de escriba,

tem a paz das ardósias,das aldeias, do húmus e do ouro.

Nela entraste como relâmpago, como ave,E empurras a minha vida para o sol

com a tua juventude.

Joaquim Pessoa

Houve uma Ilha em Ti

Houve uma Ilha em Ti

(Joaquim Pessoa)

Houve uma ilha em ti que eu conquistei.

Uma ilha num mar de solidão.

Tinha um nome a ilha onde morei.

Chamava-se essa ilha Coração.

Que saudades do tempo que passei.

Nenhum desses momentos foi em vão.

Do teu corpo, de ti, já nada sei.

Também não sei da ilha, não sei, não. S

ó sei de mim, coberto de raízes.

Enterrei os momentos mais felizes.

Vivo agora na sombra a recordar.

A ilha que eu amei já não existe.

Agora amo o céu quando estou triste por não saber do coração do mar.

Joaquim Pessoa, in ‘Ano Comum’

NOS TEUS GESTOS…

NOS TEUS GESTOS…

Joaquim Pessoa

*Nos teus gestos há animais em liberdadee o brilho doce que só têm as cerejas.

É neles que adormeço,e dos teus dedos retiro a luz azul dos arquipélagos.

*Os teus gestos são letras, sílabas, poemas.

Os teus gestos são páginas inteiras.

São a tua boca a namorar na minha boca,o cio dos séculos a saudar o tempo.

*São os teus gestos que me acordam.

Gestos que vestem o silêncio fundo das ravina se assinalam a água dos desertos.

*Os teus gestos são música.

São lume.

São a respiração do teu olhar.

A seara de espigas que ondula no meu corpo.