https://pixabay.com/pt/photos/crian%C3%A7a-torre-blocos-de-constru%C3%A7%C3%A3o-1864718/

Outros heróis da pandemia

Depois da notícia que não haveria mais aulas, não foi fácil para nenhuma família com filhos na fase escolar.
Quando falamos de heróis nessa fase da pandemia, há uns muito especiais, porém um grupo de heróis e que foram esquecidos nesse momento: AS CRIANÇAS 👧👦
-Elas aceitam tudo.
-São obrigadas a desistir de tanta coisa e mesmo assim aceitam melhor que nós.
-Passam a ser privadas da escola 🚸 .
-Deixam de poder brincar com os amigos .
-As visitas aos avós 🧓 🧓 passam a ser proibidas ou virtuais.
-Acabaram-se as saídas ao parque, ao cinema.
-Deixaram de ir às compras 🛒 com os pais .
-Não existem mais as festas de aniversário 🎂 🎊🎈dos amigos, nem mesmo as deles. Aceitando e entendendo igual gente grande.

  • Não puderam comemorar a Páscoa ou o Pessach com a família toda 👪 .
  • Acabaram-se as atividades, 🏊🏽‍♂, ⚽ , 💃🕺 , 🤼‍♂, 🤸‍♂, 🎾, 🏓, 🏈, ⛳, etc..
    -Acabam por suportar o humor e as preocupações dos adultos. Tadinhos né??

E tudo isso sem reclamar ou a reclamar pouco, porque eles sabem que “lá fora, há uma doença”.
“Eu sei mãe, é por causa de Coronavírus!”

Quero agradecer a todas as crianças👧 🧒 por isso!
São os nossos maiores tesouros, incentivadores, que nos ensinam todos os dias a privilegiar o que há de mais importantes.

*** Texto recebido pelo whatsapp, desconheço autoria.

https://pixabay.com/pt/photos/pessoas-mulher-viagens-aventura-2591874/

Por que?

Recebi o texto abaixo, que compartilho:

“Tu vais andando com a tua xícara de café… E de repente alguém te empurra fazendo com que tu derrames café  por todo o lado.

Por que tu derramaste o café?

Porque alguém me empurrou!

✔ Resposta errada!

Derramaste o café porque tu tinhas café na caneca.

Se tu tivesse chá… Tu terias derramado chá.

O que tu tiveres na xícara é o que vai se derramar.

Portanto… Quando a vida te sacode o que tiveres dentro de ti… Tu vais derramar.

Tu podes ir pela vida fingindo que a tua caneca é cheia de virtudes, mas quando a vida te empurrar, tu vais derramar o que na verdade existir no teu interior. 

Sempre sai a verdade à luz.

Então, terás que perguntar a si mesmo. O que há na minha caneca?

Quando a vida ficar difícil… O que eu vou derramar?

Alegria… Agradecimento… Paz… Bondade… Humildade?

Ou raiva… Amargura… Palavras ou reações duras?

Tu escolhes!

Agora… Trabalha em encher a tua caneca com gratidão… Perdão… Alegria… Palavras positivas e amáveis… Generosidade… E amor para os outros.

O que estiver na tua caneca, tu és o responsável.

E olha que a vida sacode. 

Às vezes sacode forte.

Sacode mais vezes do que podemos imaginar…”

Recebido do amigo Stanley Frazão 

https://pixabay.com/pt/photos/maldivas-palmeira-hammock-praia-3220702/

O que fazer no isolamento?

“Mestre, como posso enfrentar o isolamento?
Limpa a tua casa. A fundo. Em cada canto. Mesmo os que nunca sentiste a coragem e a paciência para limpar. Torna a tua casa brilhante e bem cuidada. Remove poeira, teias de aranha, impurezas. Mesmo no lugar mais oculto. A tua casa representa-te: se cuidas dela, também te cuidas.

– Mestre, mas o tempo é longo. Depois de cuidar de mim na minha casa, como posso viver o isolamento? -Conserta o que pode ser corrigido e remove o que não precisas mais. Dedica-te à colcha de retalhos, cose o início das calças, costura bem as bordas desgastadas dos vestidos, restaura uma peça de mobiliário, repara tudo o que vale a pena reparar. O resto, deita fora. Com gratidão. E com a consciência de que o seu ciclo terminou. Consertar e remover o que está fora de ti permite corrigir ou remover o que está por dentro.

– Mestre e depois o quê? O que posso fazer o tempo todo sozinho? -Semeia. Até uma pequena semente num vaso. Cuida de uma planta, rega-a todos os dias, fala com ela, dá um nome, remove as folhas secas e as ervas daninhas que podem sufocá-la e roubar energia vital preciosa. É uma maneira de cuidar das tuas sementes interiores, dos teus desejos, das tuas intenções, dos teus ideais.

-Mestre e se o vazio vier visitar-me?… Se vier o medo da doença e da morte? -Fala com eles. Prepara a mesa para eles também, reserva um lugar para cada um dos teus medos. Convida-os para jantar contigo. E pergunta-lhes por que vieram de tão longe para a tua casa. Que mensagem eles te querem trazer. O que eles te querem comunicar.

– Mestre, acho que não posso fazer isso …

– A tua questão não é isolar os problemas, mas o medo de enfrentar os teus dragões internos, aqueles que sempre quiseste afastar de ti. Agora não podes fugir. Olha nos olhos deles, ouve e descobrirás que te colocaram contra a parede. Eles isolaram-te para que pudessem falar contigo. Como as sementes que só podem brotar se estiverem sozinhas.

Via O Despertar da Humanidade, publicado no perfil da queridona Ana Carolina Torres no Facebook.