Quanto valemos

Há algum tempo, li uma reportagem de uma decisão de uma juíza do interior do RS que não quis pagar um tratamento a um pedreiro de 49 anos com câncer no cérebro, pois o tratamento seria caro e lhe daria no máximo 2 meses de vida, podendo custar aos cofres públicos mais de cem mil reais.

Tal situação me fez pensar no que realmente vale a vida.

Penso eu que se ele tivesse dois dias a mais de convívio com sua família e com seus entes queridos, teria valido a pena.

Paga-se um milhão e meio a supostos heróis de Big Brother. Assistimos roubalheiras todos os dias no noticiários de bilhões de reais e a vida de uma pessoa pobre não vale a pena, pois na razão econômica, o que são dois meses em prol de cem mil reais gastos…

Nossa, dá nojo.

Nojo de pensar que uma mulher que talvez seja mãe – ou mesmo não sendo – não consegue perceber o valor da vida.

Nojo de o embasamento legal da decisão ser o dinheiro e não a pessoa humana.

Nojo de perceber que o dinheiro nesta hora e a condição financeira teriam feito diferença.

Pena que apenas quem tem coração e alma percebe que dinheiro só é válido quando usado para viver melhor com outras pessoas e consigo mesmo na condição de ser humano.

Os cem mil reais supostamente poupados dos impostos que pago e que você paga leitor, não irão para educação, saúde, transporte ou moradia. Irão para um bolo único, onde nossos representantes vão definir em que aplicar o que nem sempre significa que o dinheiro irá chegar aonde deve chegar.

Uma decisão errada ao meu ver. Mas, vivemos num estado democrático de direito, espero que o TJRS pense diferente da juíza e que futuramente esta juíza tenha experiências de vida que possam lhe proporcionar ver que a vida humana não tem preço, mesmo quando supostamente condicionada à morte, pois daria todas as minhas economias para passar dois meses a mais com minha esposa e filha.

E quem não daria, penso eu?

Reflexões de um cidadão chamado Gustavo Rocha que pensa em humanizar a vida, inclusive no que toca à gestão, tecnologia e situações do cotidiano como esta apresentada.

 

 

Beijo no coração das gurias e abraço nos xirús!

Gustavo Rocha

Blog do Gustavo Rocha – PensarFazBem

gustavo@gestao.adv.br  |  (51) 8163.3333  |www.blogdogustavorocha.com.br

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.