Ainda ontem

Ainda Ontem

(escrito, narrado e contextualizado por Gustavo Rocha)

 

Ainda ontem fiz 40 anos,

Uma data maravilhosa,

A vida inicia aos 40,

E a minha já havia iniciado, outrora.

 

Havia iniciado há 40 anos, mais ou menos,

Ainda pequeno, espermatozóide e um óvulo em amor e profusão,

Deram a meus pais a torta emoção,

De um guri chorão e babão.

 

Ainda assim criado, educado e combativo,

Cresci com vontade de ser mais do que apenas um ovo,

Batalhando desde cedo,

Para comer omelete no fogareiro.

 

Aos trancos, barrancos e com alguns acertos,

Fiz-me homem, completo e repleto,

Completo de dúvidas, incertezas e nuances,

Repleto de amor, felicidade e desejo.

 

E se ainda ontem completei 40 anos de existência,

Muito devo ao patrão desta querência,

Obrigado Deus-Pai por tudo,

Obrigado pela vida, em resumo.

 

A meus pais deixo na sequencia o agradecimento,

A minha amada Polliana em conjunto, não esqueço,

A Laura que está a caminho, a nossa bênção,

O melhor presente que poderia este ano receber, com contento.

 

E, neste momento de pura reflexão e poesia,

40 anos de vida passam pela cortina,

A janela da alma se abre em harmonia,

E brindo a vida, com uma poesia.

 

Aonde estarei daqui a 40 anos? Não sei.

Ainda ontem tinha 20, ainda ontem tinha 39…

Agora que entrei nos “enta” da contagem de vida,

Agora, o ontem é a minha sina.

 

E para não ter mais delongas e palavras em rima,

Finalizo os versos com um pedido em rima,

Rima que torço no início e no fim de cada frase,

Rima que se traduz na minha paz de verdade:

 

40 anos de amor, vida e verso,

40 anos que vivo em sentimento e alegria,

Ainda ontem 39 e amanhã os “enta” me aguardam,

E o pedido que quero fazer, segue em aguardo:

 

Ainda ontem era, hoje sou e amanhã serei!

Resultado da matemática poética de Deus-Pai, o nosso Rei,

E a Ele peço com todo amor, bondade e carinho,

Permita que os 40 sejam o início de um longo caminho.

 

E para que não sejamos injustos,

Que todos ao meu redor ganhem este benefício,

Para que a vida se mostre a poesia do amor em harmonia do convívio,

Para que ainda ontem seja sempre uma lembrança de carinho.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.