Te amo, repito

 

Te amo, repito

(escrito no meu perfeito juízo mental e emocional, sob forte comoção de todo meu íntimo e alguma reserva de juízo neural, por assim dizer, enfim, sou eu, Gustavo Rocha que amo e repito e tenho dito!)

 

Meu amor,

Te amo.

É, te amo mesmo.

Não canso de dizer, falar, escrever, registrar, documentar, enfim, expor para ti meu sentimento.

E como poderia?

Te amar é intrínseco a minha essência.

Te amo porque sou completo em minha complexa existência e vejo em ti a completude e equilíbrio de minha loucura e insanidade.

Tu és mais do que amiga, companheira, esposa, amante, gostosa, princesa e carinho mio: Tu és a mulher que escolhi e me escolheste para compartilhar a delícia e dor de se viver lado a lado, em perfeito alinho.

Nem tudo são flores, mas as flores existem, e muitas pelo caminho.

Minha vida tem sol ao levantar e observar-te dormindo.

Minha vida tem nexo quando escrevo que te amo e aquilo que sinto.

Minha vida é perfeita em cada instante que em ti penso, admiro e respiro.

Não dependo de ti e isso faz-me te amar mais ainda, por que eu quero te amar, eu quero viver ao teu lado, eu quero doar a minha cabeça, coração e membros (todos eles, viu?) para ti e exclusivamente para ti.

Não por possessividade ou por simples fidelidade.

Sou teu porque posso ser eu, do meu jeito, da minha maneira, quando estou contigo e quando estou sozinho.

Sou teu porque tenho várias pessoas em meu coração, todas com suas importâncias, carinho e verdades, mas pra ti, Polliana, meu amor é maior, meu amor é dedicação, meu amor é verdade.

Te oferto o que tenho de mais valioso: Eu mesmo.

Se isto é suficiente ou não, se vale a pena ou não, já se vão vários anos que estamos a descobrir.

E se for para continuar descobrindo a cada dia a magia de ser feliz ao teu lado sem nunca chegar a conclusão se valeu a pena, tô dentro.

Prefiro cada momento bem vivido do que uma tese de mestrado para alguém ler e ainda dizer que foi pouco.

O pouco de outro pode ser a obra inteira de alguém.

Então, meu amor, o pouco ou muito ou ainda nada ou tudo deste Gustavo aqui é teu. Aproveite.

Te amo, Polliana. Amo a Polly, a Pôlly, a PPP, a matemática com pensamento filosófico, racional e emocional que tanto encanta e agrada a minha essência.

Te amo Polliana.

Para mim, é sempre uma honra dizer e mais ainda porque sinto, é um dever explicitar a ti e ao mundo que tu és tudo que sinto.

Te amo, repito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.